7 de out de 2010

Eu, um homem de poucas palavras


Não é todo mundo que se expressa bem escrevendo e falando. É fato! Para algumas pessoas escrever umas poucas linhas pode ser uma verdadeira tortura. Não é o meu caso. Desde muito jovem, percebi que minhas idéias fluíam na hora de escrever. Vocês não imaginam como eu sentia falta de uma caneta ou um teclado na barriga da minha mãe. Acabei tendo que recorrer ao código morse. Só era um pouco frustrante quando eu me esforçava para me expressar através dos tapinhas na barriga e ouvia algum mané falando "Ih! Está chutando! Vai ser jogador de futebol” Piadinha antiga essa, hein?!
Depois eu arrumei esse espacinho aqui no blog para divulgar minhas idéias e tudo vinha dando muito certo até eu perceber uma certa ansiedade das pessoas em me ouvir. Às vezes eu estava só bocejando e o papai comemorava “Acho que falou DÁ!”. Ou então eu arrotava e minha vó gritava lá de dentro “Que que esse menino está falando?”. Poxa, será que não seria melhor a gente só falar quando tivesse algo interessante a dizer?
Mas vendo todo mundo tão feliz eu decidir tentar. O fato é que, no meu caso, falar em público não é tão fácil quanto escrever. Mas estou me esforçando para vencer minha timidez. Cheguei a pensar em fazer teatro.
Quando fiz quatro meses decidi que era hora de me abrir mais. De repente, comecei a falar mã mã mã. Vocês não imaginam o sucesso! Minha mãe enlouqueceu e me beijou muito. Valeu a pena. Papai também sorriu. Mas senti algo estranho no ar, um sorriso meio torto. No dia seguinte, mamãe me explicou sobre esse tal de ciúme e passou o dia falando na minha cabeça pá pá pá pá pá pá pá pá pá mil vezes . Caramba! Ela é insistente.
Decidi ousar mais um pouco, me esforcei, olhei bem para ela e falei “pá-mã”. Ela riu e depois contou para todo mundo que eu devia ter tido dificuldade, que eu misturei os fonemas...Tadinha, não entendeu nada. Meu pai é mais que pai. Meu pai é um pámãe!

P.S.: Depois descobri que outras pessoas já tiveram esse tipo de ideia http://www.youtube.com/watch?v=tm3KY1iwLWk

4 comentários:

  1. Ai Manu... a tia tava com saudades das suas historinhas! E, pra variar, fico emocionada com os relatos das suas aventuras. Mas, dessa vez foi mais legal, porque você tá falando de duas pessoas que a tia já amava bem antes de você chegar. Seu pá e sua mã são demais!! Mas você já sabe disso, né? Beijos!!

    ResponderExcluir
  2. Agora, eu e déinha queremos que vc repita "din -da, din-da, din-da". Hehehehehe. Beijos, bela.

    ResponderExcluir
  3. É assim mesmo, meu amor! Todo mundo fica numa ciumeira danada com as coisinhas que vc fala, querendo advinhar o que quer dizer cada sonzinho. Mas posso te falar uma coisa? no dia que vc falar vovó acho que a vovó nunca mais se recupera!!!

    ResponderExcluir
  4. Ameeei !!! =)

    Beijos pro meu xará, pro Pá e pra Má!

    ResponderExcluir